Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

todos perdem o encantamento quando se distraem contigo

todos perdem o encantamento quando se distraem contigo

Congruência Falsa

 
 
 
  
 
 
   Motivos tendem a retardar realizações.
 
   Às oito horas e um quarto da manhã, as pupilas dilatam ao som do despertador a três palmos da mão direita, o cobertor mantém-se pregado ao corpo solitário e o travesseiro conforta a mente, outrora sonhadora . A claridade proveniente da fechadura denuncia o dia cinzento que nasce, motivo para ficar na cama.
É dia de vestir preto, calçar memórias e transmitir frieza paralela ao clima incongruente, frio.
 
O sol coado, a chuva ácida, as nuvens ventosas, que deixam rasto branco, por fim, o mar, as ondas azuis que reflectem o cinzento que as sobrepõe – deixam a tristeza efusiva, enfurecem ambiguidades mentais, descreiam realizações nossas.
 
   Contextualizo motivo para ficar em casa e averiguo o espaço hermético que me insiro. Neste dia desligo o despertador, volto-me para a esquerda e motivo-me no tempo para não realizar evolução social. Culto o clima e dou-me uma oportunidade para esquece-lo e esqueço, em cada sono profundo.
 
 
Escuro pensamento
Estático movimento
 
Substituí amor:
 
   No segundo andar de um mero prédio idealizava que nunca procuraria o amor, pensava: vou substituir o amor pela minha própria cara, o meu substituto do amor seria eu.
Entrei em lugares estranhos, perigosos, disse não ao “one night stand”, senti o sufoco dos locais hostis e desisti do meu substituto do amor, mudei de ideias e de religião.
 
Não é fácil perceberem-me, quando tento explicar como me sinto, não têm que acreditar que existo.
 
Sempre tentei mudar, olhar para além das expectativas e continuar a respirar o novo surpreendente. Mas nada mais me surpreendeu, como a promessa de um destino melhor e a hipótese de começar tudo de novo, o ano novo sempre motiva à realização.
 
Num outro dia
Freud
Motivou
Neste dia
Motivo eu
O sistema do meu ego.
                                   
 
 
                                           SoNhO fiEL
    
 
  Erotic Poetry Model Club: Lopes Chapil Farrel, nem existe.                                        

5 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2006
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D